alimentos que soltam o intestino

Alimentos que soltam o intestino Leave a comment

Também conhecido como prisão de ventre ou constipação intestinal, o intestino preso é um problema que assombra muitas pessoas e tem direta relação com seu estilo de vida. Algumas condições como sedentarismo, fatores psicológicos, alimentações ricas apenas em proteínas ou com muito amido, se juntam ao consumo insuficiente de líquidos e de fibras e podem desencadear essa situação.

O que é intestino preso?

como soltar o intestino preso naturalmente
Como soltar o intestino naturalmente

Como dito, estar com o intestino preso pode estar diretamente ligado a sua alimentação ou alguns outros fatores. Basicamente, quando comemos, o alimento entra em nosso organismo, passa pelo sistema digestivo, onde os nutrientes e a água contidos nesse alimento vão sendo absorvidos pelo nosso organismo e, o que não é aproveitado, é então transformado em bolo fecal. Ele vai sendo empurrado para fora por contrações dos músculos da parede do intestino.

Quando essas contrações estão fracas e aleatórias, o bolo focal vai se acumulando e endurecendo, assim fazendo ser necessário mais esforço para que ele seja eliminado pelo intestino grosso. Essa dificuldade de evacuar é o que conhecemos por intestino preso ou prisão de ventre.

30% dos brasileiros e 20% da população mundial sofrem desse transtorno, que atinge principalmente mulheres e idosos.

Para saber se você está com intestino preso, você deve observar a quantidade de vezes que você irá evacuar durante a semana. Esse número varia bastante entre as pessoas e também entre homens e mulheres, mas no caso de menos de três evacuações em sete dias, deve existir preocupação. Outra característica é o excesso de esforço e a presença de dores anais no ato de evacuação. Fezes ressecadas e endurecidas, sensação de evacuação incompleta, inchaço abdominal, gases, indisposição e distúrbios digestivos são outros importantes sintomas para se perceber se está com intestino preso.

Tipos de intestino preso

Esse transtorno pode atingir a pessoa de forma crônica, sendo esse um tipo de intestino preso conhecido como funcional. O outro tipo de constipação é a orgânica, também conhecida como brutal.

Orgânica (brutal)

O ritmo do intestino depende de uma série de fatores, como por exemplo, as mudanças nas estruturas do intestino grosso, anorretais, perineais ou de seus elementos neuro-motores. A constipação orgânica ocorre por bloqueio paralítico ou mecânico do intestino em consequência de aderências, tumores do intestino, estreitamento do ânus ou processos de inflamação. Quando o corpo passa por algumas mudanças físicas é quando ela está propícia para acontecer. O uso de medicamentos com efeito potencialmente constipante pode aumentar ainda mais a possibilidade.

Funcional (crônica)

Alterações em sua rotina podem ser fatores que influenciem na aparição desse transtorno. A constipação intestinal do tipo funcional pode ser causada por hábitos alimentares e intestinais ruins, além de distúrbios emocionais e sedentarismo. Não tem ligação a outras mudanças de outras vísceras do sistema digestório.

Principais causas do intestino preso

  • Quantidade insuficiente de fibras na dieta;
  • Pouca hidratação;
  • Consumo excessivo de proteínas e alimentos processados (laticínios, salgadinhos, doces, farinha branca);
  • Estresse, depressão e ansiedade;
  • Falta de atividades físicas;
  • Não atender à vontade imediata de evacuar;
  • Excesso de álcool e cafeína (seja do café, chá, chocolate ou até mesmo de suplementos termogênicos para queimar gordura);
  • Uso de determinados medicamentos (antidepressivos, remédios para emagrecer);
  • Condições médicas específicas;
  • Gravidez (gestantes estão mais suscetíveis à constipação);
  • Excesso de açúcar na alimentação;
  • Não mastigar suficientemente os alimentos;
  • Uso de suplementos com ferro e cálcio.

Pois bem, os maus hábitos alimentares e demais causas motivos citadas são as principais causas da prisão de ventre, mas algumas condições médicas específicas podem contribuir para adquirir esse transtorno também. São elas:

  • Efeito colateral do Diabetes;
  • Hipotireoidismo;
  • Períodos prolongados de febre;
  • Parasitas intestinais;
  • Diverticulite;
  • Uso indiscriminado de laxantes;
  • Colite (inflamação no intestino grosso).

Grupos de risco

Além dessas condições médicas citadas, há outros fatores a serem observados para entender melhor o intestino preso. É um transtorno presente em ambos os sexos e em todas as idades, mas acaba por ser mais comum sua incidência em mulheres e idosos.

Os hormônios sexuais femininos tem grande influência no intestino, principalmente ao deixa-lo preguiçoso durante o período menstrual. Na gravidez, o útero acaba pressionando o reto e uma porção inferior do cólon, atrapalhando o trânsito intestinal.  Nos idosos, acaba sendo algo mais natural devido à falta de atividade física, além do maior consumo de alguns medicamentos.

Outros fatores capazes de aumentar o risco para o intestino preso são os grupos que possuem hipotireoidismo e diabetes. O baixo nível hormonal tireoidiano prejudica o movimento do intestino grosso, consequentemente deixando a digestão mais devagar, o que pode levar a constipação intestinal. No caso da diabetes, controlar esse fator é de extrema importância para evitar o transtorno. Essa doença causa danos em nervos do corpo que possuem influência nos estímulos de funcionamento do intestino.

Diagnóstico de intestino preso

Intestino Preso
Intestino Preso

O profissional que cuida do aparelho digestivo é, obviamente, o mais indicado para esse tipo de distúrbio. O gastroenterologista poderá lhe dizer se o transtorno está agindo pelo modo mais convencional (crônico) ou se é orgânico – nesse caso, podendo assim estar ligado a outras doenças.

A colonoscopia é um exame endoscópico utilizado para detectar problemas no intestino grosso. Ele pode ajudar a ver se a pessoa tem um intestino maior do que o normal para seu corpo, percebendo assim um caso de intestino preso brutal.

O que fazer para soltar o intestino preso?

O recomendável sempre é a procura de um médico, até para que ele possa orientar mudanças em seu estilo de vida, mas existem alguns métodos já conhecidos para combater a prisão de ventre.

Para começar, beba muita água. A quantidade de água ingerida diariamente tem peso fundamental para ajudar no combate ao intestino preso. O trabalho digestivo, para acontecer da forma correta após o estabelecimento de uma alimentação mais equilibrada, precisará de muita água para ser efetivo.

A prática de exercícios físicos é recomendada para infinitas situações relacionadas à saúde e aqui não seria diferente. A prática regular favorece o estímulo de movimentos no intestino, ajudando assim a evacuação. Exercícios abdominais também são recomendados.

Atualmente as pessoas usufruem cada vez mais de alimentos industrializados. Esses alimentos são cheios de aditivos químicos, que ajudam a prender o intestino, além de que contam com um processamento químico elevado que acaba removendo as fibras dos produtos, buscando que tenham uma validade maior.

Enfim chegamos ao ponto principal: coloque mais fibras em sua alimentação. Elas são responsáveis pela absorção maior de líquidos e fazer com que o bolo focal se forme de uma maneira mais amolecida, facilitando sua passagem. Fezes pequenas e duras são resultado de uma dieta pobre em fibras, o que dificulta a caminhada pelo intestino e exigindo do corpo uma  intensificação dos movimentos peristálticos. O passar do tempo causa o desgaste dessa intensificação, resultando em intestino preso.

Alimentos que soltam o intestino

alimentos com fibra
Alimentos com Fibra

O Ministério da Saúda recomenda que um adulto precisa em média de 25 a 30 gramas de fibras por dia. Alimentos que contém são fortes aliados de uma boa digestão, principalmente se acompanhados de um líquido. Conheça os alimentos ricos em fibras mais recomendados para soltar o intestino:

  • Frutas como mamão, laranja (com bagaço), ameixa e abacaxi;
  • Feijão preto, grão-de-bico, lentilha, soja e arroz integral;
  • Verduras e legumes como abóbora, brócolis, berinjela, alcachofra, milho cozido, espinafre e couve;
  • Chia: uma colher de sobremesa possui mais de seis gramas de fibra;
  • Aveia, pipoca, batata doce com casca e nozes;
  • Linhaça (deixe de molho na água por algumas horas).

Frutas que soltam o intestino:

Mamão – Frutas que soltam o intestino:

frutas que soltam o intestino
frutas que soltam o intestino – mamão

Ameixa – Frutas que soltam o intestino:

frutas que soltam o intestino - ameixa
frutas que soltam o intestino – ameixa

Kiwi – Frutas que soltam o intestino:

frutas que soltam o intestino - kiwi
frutas que soltam o intestino – kiwi

Laranja – Frutas que soltam o intestino:

frutas que soltam o intestino - laranja
frutas que soltam o intestino – laranja

Hábitos alimentares

Além de dar um jeito para sua alimentação, existem alguns outros aspectos que podem ser abordados na hora de tentar prevenir a prisão de ventre. Por exemplo, evitar o excesso de consumo de café, pois o exagero pode acabar causando um efeito contrário. Frutas com casca e um chá morno pela manhã também são recomendáveis, além de acompanhar a ameixa preta com um iogurte.

Iogurte que é um alimento probiótico, outro que pode ajudar bastante na luta contra o distúrbio do intestino preso. Esses alimentos contêm microrganismos benéficos para a flora intestinal, favorecendo a saúde do intestino e aumentando nossa imunidade.

Intestino preso engorda?

A digestão fica mais lenta e seu corpo começa a se sentir desconfortável, provocando sensações ruins. Apesar desses pontos e da prisão de ventre deixar a barriga um pouco mais inchada, intestino preso não engorda.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *